Médica decapta bebê e é isenta de culpa.

Em março de 2014, a Dra. Vaishnavy Vilvanathan Laxman , uma ginecologista, estava trabalhando no Hospital Ninewells em Dundee, na Escócia, quando causou a decapitação de um feto dentro do ventre da mãe.

Após anos de processo a justiça inocentou a conduta da médica, causando revolta aos cidadãos britânicos.

Na época, a médica foi imediatamente suspensa após o incidente, e nas últimas semanas enfrentou um tribunal médico, enquanto sua carreira estava em risco.

Mas enquanto a mulher de 43 anos foi considerada “culpável” de falhas médicas no início desta semana, ela foi inocentada depois que um painel de especialistas descobriu que a morte do bebê foi resultado de “um único erro de julgamento em circunstâncias muito difíceis”. ”

A Dra Laxman estava finalizando um plantão de 24 horas, quando uma mãe de 30 anos , pela primeira vez, chegou à maternidade do hospital depois que sua bolsa rompeu após  25 semanas de gravidez.

cedbf99a8823d95d4cc477717258a824 (1)
Imagem: Cavedish Press

O bebê estava sentado e tinha um prolapso de cordão umbilical, enquanto o colo do útero da mãe tinha menos de quatro centímetros de dilatação.

O Serviço do Tribunal de Profissionais Médicos, em Manchester, ouviu previamente que a Dra. Laxman deveria ter optado por uma cesariana de emergência, dadas as sérias complicações.

No entanto, ela insistiu em um parto natural, incitando a mãe a empurrar o bebê enquanto aplicava uma manobra, que causou a decapitação.

Foi constatado pelo tribunal que o bebê já havia morrido antes da decapitação.

A cabeça do bebê, então, teve que ser removida por meio de cesariana e foi recolocada no tronco da criança, antes que a mãe de luto pudesse ver seu filho falecido.

A tragédia ocorreu no Hospital Ninewells, em Dundee, na Escócia, em março de 2014.

A Dra Laxman relatou ao jornal The Sun, às lágrimas,  que a morte do bebê foi um acidente. Ela relatou também que queria o bebê vivo e o parto estava sendo muito difícil, em nenhum momento ela quis prejudicar a mãe e nem o bebê.

A mãe de luto, também falou anteriormente no tribunal, segurando ursos de pelúcia que não perdoaria a Dra. Laxman.

A decisão do tribunal de libertar Dra. Laxman de má conduta e permitir que ela retorne ao trabalho provocou indignação generalizada em todo o Reino Unido.

O tribunal justificou sua decisão ao fato de que a médica ter insistido em parto natural ela foi”negligente”, também afirmou que foi um único erro de julgamento feito em circunstâncias muito difíceis.

A Dra. Laxman não será advertida e terá sua suspensão foi revogada, pois o tribunal não acredita que ela represente um risco para outros pacientes.

Segundo o Tribunal, a decisão equivocada da Dra. Laxman foi um incidente isolado em uma carreia sem mácula.

Fonte:  https://www.news.com.au

E aí, gostou da nossa publicação?

Compartilhe com seus amigos e família e não deixe de curtir nossa página no faceFacebook  Mães em ação , assim você fica por dentro de tudo o que rola no mundo das mamães!

Caso tenha alguma dúvida escreva para: contato@maesemacao.com.br que teremos o prazer em te ajudar.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s