Conhecendo o Movimento SlowKids – Por Leticia Lefevre

By

Há um tempo atrás recebi um convite por meio de um grupo de mães o qual eu participo me convidando para participar de um evento do movimento SlowKids. Esse evento era no Museu do Ipiranga. Como a fofícia dormiu bastante neste dia, nem me empolguei para ir, mas a vovó dela foi e amou.

Em maio agora, recebi outro convite para participar desse evento,  mas esse seria no Parque Villa Lobos. Dessa vez, combinei com a mãe da amiga da Fofícia e fomos em comitiva para o evento.

Fiquei surpresa com a organização e as atividades oferecidas. Tanto a fofícia como a amiguinha dela amaram. As atividades eram focadas mesmo no brincar e no contato com a natureza.

Havia fraldário e banheiros para as crianças. Muito bem organizado.

Até fizemos umpiquenique.

Vale muito a pena participar dos eventos deles.

Quem não conhece o movimento SlowKids vale a pena conhecer. O Site deles é o Slowkids, e lá você poderá acompanhar os eventos realizados por eles.

SlowKids é um conceito criado por Tatiana Weberman e Juliana Borges para tratar de questões relacionadas à criança com base na desaceleração, maior contato com a Natureza e pensamento sustentável.

A programação do evento conta com piquenique, música e brincadeiras.

O Slow Kids acredita que, para as crianças se desenvolverem de maneira saudável, é preciso respeitar seu tempo de descobrir, observar, experimentar. É preciso dar a elas espaço para que se conheçam, investiguem seus interesses, capacidades, emoções.

Acreditam que o brincar é coisa séria. Que pular etapas e apressar fases do desenvolvimento da criança é encurtar o seu potencial e, com ele, sua sensibilidade e inventividade. Defendem que o tempo livre da criança seja valorizado e garantido.

Ele é um caminho na contramão do acúmulo de informações e da construção de falsos desejos, cotidianamente induzidos pela sociedade do hiperconsumo e da informação. Incutir na criança necessidades que não são reais pode levar ao estresse, ansiedade e apatia. Acreditam, também, que o contato com a natureza é fundamental para a saúde física e mental da criança.

Essa interação estimula o uso de todos os seus sentidos, e assim ela se apropria dos espaços, dos outros, de si mesma. Crianças que brincam regularmente com elementos naturais têm mais coordenação, equilíbrio e agilidade.

Querem que a criança tenha vivências no mundo real que sejam plenas, calmas e afetivamente significativas, e não meramente informativas. O impacto negativo da mídia e dos jogos eletrônicos é observado tanto no desenvolvimento físico das crianças como no emocional, social e mental. Por isso, defendem que esse tempo seja limitado e que haja, sempre, a mediação ou o acompanhamento de um adulto.

Acreditam que a terceirização do cuidado com as crianças é prejudicial ao seu desenvolvimento, pois a criação de vínculos afetivos fortes dá segurança para que ela tenha um desenvolvimento saudável e se prepare para enfrentar o mundo. Os pais devem assegurar tempo para estarem juntos – e focados. E não, não bastam 15 minutos.

Convidam a todos para olhar para as necessidades das crianças no presente – hoje! – e não agir pensando apenas no futuro. Abrir mão do aqui e do agora pode trazer consequências graves para os pequenos, que marcam o restante de suas vidas.

Sonham com uma mudança em relação ao modo como recebemos nossas crianças no mundo. Sabem que uma sociedade que cuida bem de suas crianças se humaniza. Por isso, querem te convidar: venha conviver, brincar, estar e se divertir com elas.

Anúncios