QUALIDADE DE VIDA PARA O PROFESSOR E DE ESTÍMULO LINGUÍSTICO PARA OS ALUNOS: ORIENTAÇÕES PARA PRESERVAR  A SAÚDE E POTENCIALIZAR O ENSINO EM SALA DE AULA

mensagens-dia-do-professor
Por: Luciana Ferreira Marcilio Salido e Luiz Eduardo Graton Santos  – UNECLIN 

    O professor tem um papel fundamental no desenvolvimento infantil, pois é uma das principais fontes de estímulo lingüístico, transmitindo carinho, controle, atenção e conteúdo através de comunicação clara e assertiva.

     Para proporcionar um melhor desenvolvimento linguístico aos alunos o professor ideal é aquele que fornece a melhor estimulação possível através da fala, ou seja, alguém que fale com as crianças sem alterações ou adaptações articulatórias, pausada e objetivamente. Essa fala somada a integridade do sistema auditivo do ouvinte (periférico e central) proporcionam melhor compreensão e facilitação da aprendizagem da fala.

     Assim, as seguintes características são desejáveis para um professor de educação infantil: boa saúde vocal, bucal e auditiva; articulação adequada; ausência de sotaque; não fazer uso de aparelho ortodôntico/ortopédico ou próteses dentárias nas classes de alfabetização; conhecimento da fonética, fonologia e articulação da língua.

     Parece complicado? Garantimos que com práticas diárias de bem estar pode ser bem mais simples do que parece.

     Vamos começar pela REGRA DE OURO: Fique atento a própria fala! Escute-se! Ouvir-se e perceber visualmente ou através do tato a própria articulação e respiração, são exercícios fundamentais para manter a clareza da comunicação e para a compreensão dos fonemas e fanerolaliemas (articulação visível da fala) tão importantes para a aprendizagem da fala e consequentemente da alfabetização. Dessa forma, você também será cada vez mais hábil em manipular os sons da fala e terá maior facilidade em estimular a consciência fonológica em seus alunos.

   Também é muito importante que sua fala seja clara e compreensível, sem alterações omissões e distorções. Evite as salas de alfabetização se tiver sotaque e enquanto usar aparelho ortodôntico/ortopédico ou próteses dentárias. Lembre-se que a leitura e a escrita mapeiam a fala e que você é uma das maiores fontes de estimulo lingüístico para seus alunos. Caso tenha alguma dúvida sobre sua fala, consulte um fonoaudiólogo.

      Preservar a sua audição para ser capaz de monitorar-se e de ouvir o outro com clareza.

    Então, evite fones de ouvido intra-auriculares (aqueles pequeninos que ficam dentro das orelhas). Use fones auriculares, que cobrem cobrem a orelha externa e distribuem melhor o som.

     Não use seus eletrônicos no volume máximo. Evite ouvir música em volumes altos por períodos longos, sobretudo se estiver usando  fones de ouvido ou estiver em ambiente fechado. Prefira as intensidaddes intermediárias (a Organização Mundial da Saúde, OMS, recomenda até 60Db). Existem aparelhos no mercados que chegam a 120dB, potência que já pode causar prejuízos a sua audição.

     Fique atento ao comprar ingressos para shows, evitando ficar perto de caixas de som. Essa dica também funciona em festas e eventos em geral.

      Em casa, evite ligar vários eletronicos ao mesmo tempo, intensificando o barulho do ambiente.

      Reserve momentos de silencio para seus ouvidos, eles também precisam de descanso.

     Cuide da sua voz! Ao estressar o próprio aparelho fonador, o professor emite uma fala menos clara para os alunos. Um professor com articulação ruim, rouco e/ou com espessamento importante da saliva, exige mais do próprio aparelho fonador, omite trechos e distorce sons durante a fala o que pode prejudicar significativamente a compreensão, sobretudo de crianças com dificuldades receptivas como alterações auditivas e visuais.

    Cuide de sua alimentação, inclusive atentando para o espaçamento entre refeições para evitar possível refluxo que tanto agride o aparelho fonador. Evite achocolatados, leite e derivados antes da aula, pois estes aumentam a produção de secreção no trato vocal e dificultam a emissão da fala. Coma maçãs regularmente, caso não haja restriçoes médicas, pois funcionam como adstringente das pregas vocais.

     Redobre sua atenção aos possíveis ressecamentos do trato vocal, sobretudo se sua sala tiver ar-condicionado. Hidrate bem o corpo, fazendo uma ingesta regular de água, preferencialmente em temperatura ambiente, de pelo menos 2 litros ao dia.

     Preserve momentos de repouso vocal durante o dia (fique um tempinho sem falar). Isso pode acontecer, por exemplo, durante seu exercício físico diário, pois esforço muscular associado a fala gera sobrecarga na musculatura laríngea. Bons momentos em silêncio também substituem balinhas, pastilhas e sprays que mascaram o desconforto da garganta e permitem que você fale com muito esforço sem perceber.

     Não pigarreie para que não haja forte atrito das pregas vocais, fale exclusivamente o necessário quando estiver em crise alérgica ou gripado e fique atento a postura corporal mantendo-se no eixo e sem tensões.

     Durante a aula, recomendamos que o professor não use roupa apertada no pescoço e/ou cintura para não dificultar a movimentação de músculos importantes para a respiração e fonação.

     Durante a vida, recomendamos que o professor não fume nem beba excessivamente pois esses hábitos prejudicam significativamente as pregas vocais e o aparelho respiratório, podendo causar irritação, pigarro, edema,…

     Se estiver rouco por mais de duas semanas, consulte um médico otorrinolaringologista.

     Evite fazer vozes diferentes da sua (falar fininho ou muito grosso, etc), falar muito rápido, articular pouco (mexer pouco a boca, travar os dentes, etc) ou sem entonação. É importante expressar as emoções através da variação de entonação e mímica facial para evitar a monotonia e ganhar o interesse do interlocutor, mas sempre respeitando a sua voz padrão.

     Aproxime-se do interlocutor para não precisar intensificar a voz desnecessariamente e para facilitar a escuta também melhora o contato e a qualidade atencional.

     Evite competição sonora, desligando rádio, TV, etc, durante a fala. Muitos alunos conversando durante a explicação ou dar aula com as janelas voltadas para a quadra são perturbações importantes para sua comunicação efetiva. Busque manter o controle amoroso da sala e durante as festividades use mais recursos visuais e táteis que auditivos.

     Cuidar do professor é respeitar quem se doa para nossos filhos e amar o futuro. Se esperamos que os professores inspirem nossos filhos, fica claro que sua qualidade de vida é função direta da qualidade da missão educar.

Imagem: Internet

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s