Primeiro dia de aula: o que o coração de mãe sente e ninguém vê  – Por Juliana Brandileone

  
Primeiro dia de aula 

Na sexta-feira, depois da busca por uma escola que se adequasse a nossa necessidade, encontramos uma escola perto de casa, bacana e com a metodologia de ensino embasada pela pedagogia afetiva. Muito legal, mas não vou ficar aqui fazendo propaganda não, quero apenas transcrever a mistura de sentimentos de uma mãe ao deixar seu filho na escola.

Depois de sexta e da matricula, fiquei “macha” o final de semana todo. Juro…Fui valente com o meu marido comprar mochila e alguns itens pedidos na listinha da escola.

Domingo comecei a arrumar a malinha dele para a aula (confesso que já começou a bater um puta que pariu interno que nem conto pra vocês). Nome em todas as peças, separar mamadeira, fralda, copinho, shampoo, lancheira, brinquedos, mochila etc. A cada peça separada, eu colocava um pedaço do meu coração em silêncio dentro.

Conversei com ele depois do banho, disse que no dia seguinte ia ver os amigos e brincar muito na escola. Ele sorriu, ficou muito feliz e disse: Obaaa!

Não dormi direito… nem o pai! Ele capotou!!

Acordamos, fiz toda rotina matinal e fomos comprar as últimas coisas que faltavam. Almoço pronto, vamos ao processo de alimentar… hoje, só porque tinha horário ele demorou mais do que o normal… ou era eu que estava ansiosa, o fato é que a aula começava às 13h, eram 12h37 e eu ainda na sobremesa.

Ufa… agora trocar fralda e deixar o filho bem cheiroso para ir pra escola (crianças cheirosas atraem rs). Dei aquela cafungada no cangote cheiroso e falei vamos…. Meu coração disparou e ele simplesmente pegou sua mochila dos Minions e foi pra porta! Eis que o filho da mãe está mais pronto que eu…

Entramos no carro, mochila pra dentro e ele pede a chupeta! Penso eu… f$%deu! Ele vai dar trabalho… (só um comentário a mais e a parte… como a cabeça da gente viaja!)

Chegamos na porta da escola e a tia abriu o maior sorriso pra ele! Para mim, por 30 segundos apenas, ela era o monstro do lago Ness surgindo pra pegar meu filho… ele foi, já perguntando dos amigos, ajeitou a mochila no chão, me deu um sorriso e saiu andando valente para seu primeiro dia de aula. Me deu um beijo e sorrindo me disse: Tchau mamãe.

Pilillilililimmmm … esse foi o som do coração desmoronando no chão. Aí escuto, vai firme mãe, você sofre e ele não.

Beleza… entrei no carro… silêncio! Parecia um carro vazio até sem mim dentro!

Cheguei em casa e me certifiquei se não tinha ninguém na cadeirinha. Subi… O silêncio sem ele… sem a Peppa e sem a Luna! Não preciso andar nas pontas dos pés e não preciso falar baixo no telefone…Agora estou eu aqui, com meu kit desfibrilador e escrevendo para vocês a tarde mais longa da minha vida kkkk.

Como me sinto? Apesar de perdida dentro da casa vazia, parecendo um peido dentro de uma bombacha, estou feliz. A conquista é dele, mas a realização é nossa. Acho que esse sentimento é o mesmo em todas as fases do desenvolvimento de um filho. Sofremos a dor silenciosa de que estão cada vez mais independentes, mas vibramos ao ver que o desenvolvimento faz parte da historia de todas as crianças.

No meu caso, meu filho sabe falar tudo… tudo mesmo. Tem bastante energia. Gosta de brincar e não tem preconceito com idade. O negócio dele é se divertir. Até ontem, sentava para assistir seu desenho preferido, tinha seu momento de sono e colinho. Nossos horários e nossas regras, mas entendi que eu não mais era o suficiente para ele… ele precisava de outras crianças.

Passei por algumas escolas. Encontrei as que amei e não poderia pagar, encontrei as que poderia pagar mas jamais deixaria meu filho, e por fim encontrei uma que atendia a minha necessidade e poderia pagar. A escola não tinha nome comprido, importado, renomado ou qualquer outro gueri gueri… era uma escola pequena, que tinha acolhimento, limpeza, com separação de salas por idade, cozinha aberta e com pessoas te recebendo com um sorriso. Por isso, é onde ele está agora!

Boa sorte minha vidinha… você um dia vai ler isso e vai entender que tudo foi por amor!

Começa hoje um caminho sem volta e o mundo será seu limite!

Te amo mais do que possa imaginar e nos vemos às 17h30.

Anúncios

2 comentários

  1. Q texto maravilhoso, tão verdadeiro!…Eu e meu marido acabamos de selecionar a escola na qual pretendemos matricular nossa filha. Ela só vai no início do ano q vem, mas eu já sinto esse aperto no peito qndo me imagino vivenciando essa inevitável experiência q vc descreve. Mas ao mesmo tempo fico muito feliz e realizada pela minha pequena, pois sei o qnto essa nova etapa será importante na vida dela. Muito obrigada por compartilhar!!! Bjsss

    Curtir

    1. Obrigada Lívia por ler…
      Boa sorte e aproveite para ler o texto de hoje… é sobre a primeira semana e tudo o que pude observar de importante nessa etapa maravilhosa.
      Um beijo enorme para você.
      beijos

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s