Mãe da Semana: Nicole Zacharias Garcia – Juntos somos mais fortes, em busca de justiça!

11986990_964675536932829_3992562809459588457_n

A mãe dessa semana eu conheci em um grupo de mães em uma conversa por acaso sobre um medicamento que nossos filhos usavam. Depois dessa conversa, na semana seguinte, li um relato dela neste mesmo grupo e em outro grupos de mães que participo, sobre o que estava acontecendo com seu filho na escola e quase tive um ataque de fúria.

Fiquei pensando como poderia ajudá-la e minha primeira ideia foi falar para ela ir ao Conselho Tutelar, mas isso ela já tinha feito. Fiquei incomodada com a situacao e comentei com minha mãe que foi professora há muitos anos da rede pública de São Paulo. Ela também se comoveu e foi conversar uma amiga dela professora que a neta estudava em São Caetano e na maior coincidência, a neta estava na mesma classe do filho da Nicole. O nome desta segunda mãe é Juliana que também horrorizada com os acontecidos já se uniu com a Nicole em busca de justiça.

Fiquei pasma em como o mundo pode ser tão pequeno! Neste meio tempo, falei com a Juliana e ela me confirmou o que estava acontecendo. Resumindo: a filha dela também estava apavorada!!!

Antes de escrever esse post chequei as fontes, conversei com as mães, pois não queria correr o risco de um relato infundado. As mães têm provas de tudo que está acontecendo.

Como advogada que sou, tendo atuado anos na defesa dos direitos as crianças e adolescentes inclusive com advocacy (advogar pela causa), senti em meu coração que isso não deveria ficar assim, que eu deveria divulgar a história da Nicole e da Juliana.

Por isso a mãe dessa semana é a Nicole Zacharias Garcia, mãe de dois meninos lindos, que esta lutando para que os direitos do seu filho sejam respeitados.

***

Sou Nicole, advogada e tenho um filho de 3 anos matriculado na rede municipal de São Caetano (as tão faladas escolas modelo).

Ocorre que de uns 3 meses pra cá, percebi mudanças bruscas no comportamento do meu filho, ele já é bem agitado e nervoso, mas as coisas estavam meio fora do controle.

Como ganhei a bebê  a 3 meses, achei q era adaptação, ciúmes ou coisas do gênero de criança que ganha um irmão.

Comecei a receber alguns bilhetes da escola, reclamando de sua postura e falei q tomaria providências mas q eles me ajudassem devido ao nascimento do irmão.

Não contente um dia me ligaram (proaudi da Escolao) para contar q ele tinha batido em uma API, porque  ele queria comer a sopa depois do horário…. Me disseram q foi muito grave porque ele bateu no estômago dela com força e a mesma está doente, que eu deveria tomar atitudes com ele, inclusive levá-lo ao psicólogo/psiquiatra.

Ele como estava fazendo já a uns 3 meses (não me contava nada que acontecia na escola, coisa que ele sempre fazia), perguntei sobre o ocorrido e ele disse que nada aconteceu.

Fui na escola no dia seguinte conversar com a direção, com a professora e com a Api q ele tinha batido.

Ao chegar a escola, a professora veio imediatamente com uma cara de espanto falar comigo, perguntando o que estava havendo com meu filho, pois ele estava um terror, não deixou nenhuma criança tirar a soneca na parte da tarde e que inclusive sem motivo algum ele levantou e foi dar um chute na cabeça de um amigo.

Conversaram comigo em uma sala, dizendo que acreditavam dizer q ele era hiperativo q precisava fazer tratamentos com psicólogo, psiquiatra!!! Que será bom uma investigação por ele ser uma criança, agitada, fala com as mãos, nervosa….

Ele estuda lá desde 1 ano e meio e já tinham me relatado que ele tinha uma inteligência acima do normal…. Mas sempre souberam lidar com ele.

Esse ano nova professora, confirmou q a inteligência dele é acima do normal, faz atividades muito rápido, já logo quer fazer outra coisa, é muito à frente dos amigos, me indicaram também fazer um teste de Qi porque pouca inteligência atrapalha é muita também.

Após toda a conversa, chamaram ele na direção e percebi q meu filho ficou muito acuado, literalmente com medo!!!! E apontou pra um canto da sala e disse ontem eu fiquei de castigo nessa parede… Isso me deu um alarde!!! Após longa conversa viemos pra casa, e vi q ele estava triste… Mas nada me contava!!!

Deixei ele de castigo, sem desenho, sem iPad e no quarto para pensar durante toda a semana.

No último dia 04 ele não foi pra escola, iria ter festa da família, mas como tenho bebê novo não iria conseguir acompanhá-lo.

Comecei a pesquisar se era normal crianças ficarem de castigo na sala de aula dele, e ele me confirmou que  ficava de castigo todos os dias na parede na sala porque era desobediente.

Naquela sexta feira, uma mãe mandou uma mensagem para o grupo da sala que temos no whats app dizendo q a filha andava contando histórias horríveis sobre a sala e a professora, mas que nunca tinha dado a devida atenção, pois achava que por se criança pequena era invenção, mas essas história a alarmou e ela mandou a gravação da filha falando que o amiguinho tinha sido malcriado e a pro tirou a calça dele na sala em ficou mostrando o bumbum dele pra todas as crianças e todo mundo rindo.

Pra mim foi o estopim de que algo estava acontecendo de grave, pois conheço meu filho e sei que ele não era aquele monstro que estava sendo pintado na escola….

Comecei a ir atrás de mães e tentar descobrir o que seus filhos falavam sobre a professora e a escola….

Me escandalizei e comecei a linkar as coisas….

Com as crianças contando a histórias, comecei a sondar meu filho e todo mundo abriu a boca.

A professora está cometendo o crime do artigo 232 do ECA, expondo crianças de 3 e 4 anos, a situações humilhantes e vexatórias, não esta zelando pela integridade física, psíquica e moral das crianças conforme manda o art. 17 e 18 do ECA.

Meu filho chegou um dia em casa chorando, dizendo que fez coco na calça e perguntou se ele era cagao… Eu disse que não é conversei com ele sobre o Pq ele estava dizendo aquilo…. Nada foi dito, nessa mesma noite ele fez xixi na cama…. Coisas que ele nunca fez desde q desfraldou…

Soube que a professora nesse dia, tirou a cueca dele e mostrou pra todos os amiguinhos e mandou todos ficarem chamando ele de cagão.

O episódio que meu filho foi dar um chute no amiguinho foi confirmado pela mãe do amigo, mas ela disse q estava chamando meu filho de bebê (coisa d qual ele odeia) a mando da professora.

Houve outro episódio que ele bateu em outro coleguinha e ela colocou ele de castigo na parede e mandou todos os amigos baterem nele, para ver se assim ele aprendia a lição (São 25 crianças na sala), uma amiguinha dele contou pra mãe, porque  ela ficou muito triste em vê-lo chorando.

Outra criança afirmou q mostrar a bunda na sala de aula era uma brincadeira feita, aonde colocavam a criança que não obedecia em uma roda e mostrava o bumbum.

Outro episódio com outra criança, o menino foi brincar de boneca com as meninas e a professora mandou a sala inteira ficar chamando ele de mulherzinha.

As meninas dessa sala não aceitam nada azul, pois dizem ser de menina, e os meninos tem asco da cor rosa pois dizem q é somente de menina.

Entre outras coisas ( que tenho tudo gravado por áudio e conversas de whatssapp, com as mães e as crianças).

Meu filho confirmou tudo isso, é na segunda não o mandei pra escola, quando estava saindo pra ir pra escola ele me perguntou aonde eu ia, disse q iria na escola conversar com a professora e com a diretora, ele ficou branco e pediu pra eu não contar nada do que ele havia me relatado porque a professora era muito brava e ela não deixava contar, e ele ia ficar de castigo.

O acalmei e fui pra escola.

Juntamente com outros pais fizemos uma reunião e contamos o q estava acontecendo… A diretora ficou de boca aberta, disse desconhecer tudo isso, é que não admitia q isso acontecesse, para ficarmos tranquilos que tudo seria resolvido.

Eu solicitei o afastamento dela e fui informada que o caso seria levado ao Seduc para que isso acontecesse…. Pedi para falar com a professora ela não deixou, achando que eu estava muito exaltada… Discuti com ela e disse ela pode acuar as crianças e não pode se sentir acuada por mim. Mas não consegui ouvir a versão dela.

Chegando em casa, soube que meu filho foi rotulado na escola, como briguento, terror, gritão, que ele não era para as crianças serem amigas dele.

E ai entendi o porquê toda vez q eu e o pai ou qualquer pessoa briga com ele, ele fica em pânico perguntado se seremos amigos dele, se amamos ele, que ele não quer ficar sem amigo.

Um outro episódio, de sexta feira é dia de brinquedo, uma criança levou um brinquedo e a professora mandou a mãe levar embora, pois o meu filho iria quebrar, e que ela no se responsabilizaria pois avisou que tem um terror na sala, o filho dela  disse que meu filho era amigo dele é que jamais quebraria seu brinquedo…

O brinquedo voltou intacto pra casa.

Tomada por uma fúria sem fim, fiz um BO contra a professora e levei na escola na quarta feira, exigindo q ela fosse afastada….

Meu filho pediu pra ir na escola pra falar sobre a festa de aniversário dele…. Deixei na parte da manhã e logo fui buscá-lo por medo de represália….

A diretora me disse q falou para ela sobre o BO e ela disse tudo bem, q a história não era bem assim.

Liguei na quinta e perguntei se a professora estava afastada fui informada que não…. Meu filho não está indo pra escola e me pediu pra escola dizendo a seguinte frase:

– mamãe posso levar meu minions novo amanhã pra escola??
– filho, amanhã você não vai pra escola, você vai ficar aqui em casa com a mamãe e com o seu irmão.
– mas mamãe, pode deixar eu ir, todos meus amigos vão e ninguém vai fazer mais nada de ruim comigo!!! Não vou mais ficar de castigo, meus amigos não vão mais me bater, ninguém mais vai me xingar de bebê e cagão.

Agora vai ficar tudo bem!!!

Com toda essa movimentação das redes sociais, as peças foram se encaixando e outras mães foram se manifestando, a maioria delas tem medo de perder a vaga na escola, por isso que não se manifestam, outro dia recebi O AUDIO DE UMA MÃE, TESTEMUNHA OCULAR QUE VIU A TAL PESSOA QUE SE DIZ PROFESSORA, QUE LECIONA NESSA EMEI EM SÃO CAETANO, PARA CRIANÇAS DE 3 a 4 ANOS, CONHECIDO COMO G3, BATER NO MEU FILHO!!!!!

“Nicolle eu fui buscar minha filha mais cedo na escola, e como estava chovendo fiquei no pátio esperando meu marido, nesse momento as crianças do G3 estavam brincando no pátio (leia-se pátio aonde todos os funcionários da escola tem livre acesso e veem tudo que se passa), o Enzo e mais duas crianças estavam querendo brincar no mesmo cavalinho ele começou fazer aquela manha de criança e a Natalia pegou ele somente por um braço e o jogou na parede, gritando você vai ficar de castigo para você aprender”.

A DIRETORA DA ESCOLA NUNCA VIU NADA, A AUTRA PROFESSORA NUNCA VIU NADA????? O QUE ELAS FAZEM NA ESCOLA?????

Fui informada que a professora tem costas quentes em São Caetano já existem várias reclamações contra ela é sempre abafaram, pois a mãe é diretora e outra escola e alguma coisa da prefeitura.

Já abri denuncia  no conselho tutelar.

Peticionei ao Seduc pedindo para q seja instaurado uma sindicância de apuração.

E vou ao Ministério Público para pedir providências. Que seja instaurado inquérito civil público e posterior ajuizamento de ação civil pública contra o município é demais responsáveis.

Até agora 17/09/2015, mais de 15 dias após o primeiro contato com a direção da escola, e toda a movimentação que eu fiz o máximo que aconteceu foi ela ser afastada da sala de aula.

A prefeitura de São Caetano do Sul está querendo abafar o caso, porém eu as mães que me apoiam não vamos desistir, você já imaginou se fizessem isso com seu filho???

A Prefeitura de São Caetano do Sul emitiu uma nota em sua página no facebook informando que está apurando os relatos sobre suposto caso de maus-tratos na escola. Falando que a professora não tem nenhum registro de agressão ou ato desabonador, que não devem ser feitos pré-julgamentos, e que se eu quisesse poderia mudar meu filho de escola ou professora que era para eu aguardar o resultado do processo instaurado na Corregedoria.

Tem muita coisa errada na Educação de São Caetano, e quem sofre não é s meu filho e sim todas as crianças, muita coisa é encoberta por lá, deve ser por isso que essa professora não tem nenhum registro de agressão, muita coisa não sai da direção e não chega ao Seeduc, e quando chega e vai ate o Corregedor não recebem a devida punição!!!! Muitos casos arquivados e professores impunes.

Tenho concretizado o apoio de todos vereadores da Oposição de São Caetano, tenho certeza que a pressão do povo e da Oposição não deixara esse caso passar batido.

Conto com todos vocês nessa luta, para que a justiça seja feita! Compartilhe isso com todos que você conhece!

A justiça será feita e a politicagem dessa vez não vai vencer!!!!

E peço encarecidamente a todos vocês que tem/tiveram/presenciaram casos como esse não se calem, juntos somos mais fortes. Vamos fazer a diferença.

Um beijo no coração de cada um de vocês.

Tenho todas as provas e BO.

Quem quiser me ajudar, ficarei extremamente grata, todo tipo de ajuda é bem vinda.

Vou nessa história até o fim!!!!!

Se gostou curta nossa página no facebook face

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s