AMAMENTAÇÃO – Por Miriam Duarte Barros

By

11824988_852551068165333_1869933040519256225_n

Essa semana dando início a semana do Aleitamento Materno, iniciaremos com a nossa nova colunista, a Dra. Miriam Duarte Barros, nutricionista formada pelo Centro Universitário São Camilo, Especialista em Nutrição Clínica pelo GANEP e Tutora do Método Canguru pelo Ministério da Saúde, Nutricionista da Secretaria do Estado da Saúde de Sergipe lotada na Maternidade de Alto risco Nossa Senhora de Lourdes …., ela escreverá para nós uma vez por mês, abordando temas relativos a nutrição infantil. Espero que aproveitem bastante.

***

No período de 01 à 07 de agosto de 2015 é dado início a semana do Aleitamento Materno,  lançada pela Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (WABA) que é uma rede global de indivíduos e organizações preocupados com a proteção, promoção e apoio ao aleitamento materno em todo o mundo.

As vantagens da amamentação podem ser facilmente resumidas no fato do leite humano conter todos os nutrientes em qualidade e quantidade necessária a propiciar um desenvolvimento adequado para o lactente (RN).

O leite materno é muito mais que uma fonte de nutrientes, é um fluido bioativo, de grande complexidade biológica.

O leite secretado até três dias após o parto é denominado colostro, e apresenta características específicas, adequadas às necessidades do recém-nascido, desempenhando assim, papel mais protetor do que nutricional. Já o leite maduro, apresenta uma composição mais estável a partir do 15◦ dia após o parto. É o leite com um pouco mais de proteína e gordura, comparado ao colostro. Porêm atinge as necessidades nutricionais do RN. É importante frisar que a carga osmótica renal que o  Leite Humano exerce é de 9,0 mOsm, já o leite de vaca exerce 3x mais (27 mOsm), por isso a criança que utiliza leite artificial necessita de água, já a criança que é amamentada exclusivamente não é necessário.

Para a mulher, a amamentação traz vantagens por favorecer a recuperação pós-parto, contribuindo para a involução uterina e diminuição do sangramento.

O aleitamento materno exclusivo é muito importante até os 2 anos de idade, e a partir de 6 meses iniciar os novos alimentos preservando o aleitamento materno.

Fonte: http://www.redeblh.fiocruz.br

***

Contato: miriam@oncohematos.com.br – Tel (79) 3224-7214 – Aracajú – SE

Anúncios