Separação de corpos quando, porque e como pedir? 

By

mulher_chorando

Não aguento mais conviver com meu cônjuge/companheiro, o que fazer?

O ideal quando há filhos envolvidos em uma separação é tentar não se separar, buscar aconselhamento de profissionais, igrejas, quem puder ajudar a restabelecer a relação de vocês. Mas caso a vida fique insuportável para seus filhos, é melhor se separar. A melhor maneira de se separar é com um acordo entre você e seu cônjuge/companheiro, para que a separação seja da forma mais tranquila possível, o que na prática é quase impossível.

Há alguns casos que o cônjuge/companheiro ameaça a mulher de que tirará os filhos dela ou por ela não trabalhar ou porque vai falar que ela é uma mãe irresponsável, que ela não tem condições de criar os filhos, daí por diante.

Você sair de casa, sem falar nada para ele nem para ninguém, principalmente fazer isso na loucura, pode ser encarado como abandono de lar, e isso pode te prejudicar muito no futuro, pois um dos pressupostos do dever do casamento é a coabitação, que significa que os dois devem viver sobre o mesmo teto, e quando a união estável é equiparada ao casamento a regra vale da mesma maneira

Mas o que devo fazer???

Você pode entrar com uma separação de corpos. O que é isso??? É uma maneira, por meio judicial (advogado), a qual o juiz pode determinar o afastamento de um dos cônjuges/companheiro do domicílio do casal. Podendo você sair de casa ou seu companheiro ser obrigado a sair.

Caso você não tenha condições de pagar um advogado, poderá contatar a Defensoria Pública da sua cidade.

A separação de corpos só deve ser usada se existir ameaças à integridade física de um dos cônjuges/companheiros ou dos filhos do casal, ou quando a quando a convivência na mesma casa se torna insustentável. Como justificativas para a ação podem ser usadas as ameaças e agressões, mesmo que verbais. Há necessidade de provas.

Como faço???

A ação de separação de corpos só pode ser proposta por um advogado. Então, se você decidiu que não tem mais jeito, você deve procurar um para que ele entre já justiça com essa ação. A ação que ele entrará é uma medida cautelar de separação de corpos. O advogado reunirá as provas que você apresentou das ameaças ou de que a vida em família está insuportável.

Depois que o advogado distribui (entra com) a ação ela é direcionada a uma vara de família, onde o juiz analisa, se o juiz já  conceder de cara a liminar, o processo vai ao cartório da vara onde é expedido o alvará da separação de corpos. Dai esse alvará é encaminhado ao oficial de justiça que entregará a notificação ao companheiro da decisão do juiz, de que ele não vai poder mais voltar para casa ou que você vai sair de casa. Se seu conjugê/companheiro reagir de forma agressiva o oficial de justiça poder até chamar a polícia.

A decisão pode tanto sair imediatamente, sem que haja necessidade de sequer ouvir a parte contrária quanto o juiz pode marcar uma audiência para ouvir o casal, vai depender de cada caso e das provas apresentadas. Você tem que estar ciente que se a separação não for consensual e o juiz intimar seu companheiro/cônjuge provavelmente a audiência será tensa e provavelmente o juiz sugerirá a reconciliação.

Se a vida ficou insuportável e você já deu entrada na ação e o juiz ainda não decidiu, você pode comunicar ao juiz, por meio de seu advogado, que você está saindo de casa, pois com a entrada da ação não será mais configurado abandono de lar

Quem pede a separação de corpos deve ter em mente que é preciso entrar com uma ação de divórcio ou a dissolução de união estável, em 30 dias, seja litigiosa ou consensual. Caso contrário a medida cautelar deixa de valer.

Fonte: http://delas.ig.com.br

Anúncios