Dicas para escolher a creche, berçário ou escolinha ideal para o seu filho

Imagem Google

A idade certa para colocar seu filho na escola depende muito, hoje com a mudança da rotina das mães, o berçário é necessário já nos primeiros meses de vida de um bebê. E só quem é mãe sabe como é difícil retornar ao trabalho, principalmente escolher o local adequado para deixar seu filho.

O maior problema na escolha da escola, creche ou berçário para seu bebê é saber se ele está bem cuidado, quem não tem a opção como eu de deixar com algum parente (mãe, sogra, tia…) ou babá, cai nessa dúvida.

Seria…a primeira coisa que vem a mente de toda mãe é a certeza de que ninguém cuidará do seu filho como você.

Porém, temos que nos preocupar em garantir o bem estar de nossos filhos, dentro da nossa realidade. São muitos itens que os pais precisam observar na hora de escolher o melhor lugar para deixar seus filhos.

Antes de escolher a escolinha, os pais também devem observar a higiene do espaço, ou seja, visitar a cozinha e analisar itens básicos de limpeza como, por exemplo, o uso de touca por parte das funcionárias do setor e os cuidados que tomam ao manusear e servir os alimentos. Muitas escolas estão agora nas férias de janeiro, mas estão com as matrículas abertas para novos alunos. Então, Mães em ação fez uma lista com os principais tópicos que devem ser observados na visita das escolinhas. Confira a seguir:

  • Agenda: Ter um canal direto de comunicação com o cuidador do seu filho, para saber o que está acontecendo e qual é sua rotina.
  • Alimentação: No caso de bebês ainda lactentes, as mães devem questionar primeiramente se a escola aceita levar o leite materno e se esta escola possui local adequado para armazenamento e alvará da vigilância sanitária para poder armazená-lo. Se os pais não quiserem que o filho use mamadeira deverá checar com a escola a possibilidade da utilização de copinho ou colher para a ministração do leite. Importante saber se a escola também aquece o leite materno em banho-maria. Algumas escolas oferecem o ‘cantinho da mamãe’ para aquelas que possam ir na hora do almoço, por exemplo, amamentar o bebê.Já em relação aos filhos maiores é ideal é visitar as escolas nas horas das refeições para ver como o alimento é servido, se a alimentação é saudável, se há uma nutricionista responsável pela elaboração do cardápio e dê preferência a escola que tenha essa opção. Ficar atento se é preciso levar ‘lanchinho’ ou pagar taxas extras ou se está tudo incluso. Prestar atenção também como é servido o lanche de quem paga taxa e de quem leva de casa, para saber se está tudo bem com essa situação para seu filho.
  • Aquecedor: Checar se a escola tem aquecedor para a utilização das crianças em dias frios, principalmente para os menores na troca de fraldas.
  • Atividades propostas: Perguntar qual a proposta pedagógica da escola e se essa proposta alinha-se ao que você pretende na educação do seu filho, quais são as principais atividades para cada faixa etária, quais os brinquedos que ficam à disposição dos pequenos. Para os maiores, ver se há cursos extras como inglês, música, judô, natação, balé e se eles estão inclusos na mensalidade.
  • Banheiro: Os banheiros devem ter vasos sanitários pequenos para as crianças para facilitar a utilização e os pais devem checar como é feito o desfralde e a partir de que idade. Ideal é que a escola, assim como os pais, respeite o tempo da criança e que quando for feito o desfralde seja feito em conjunto pais e escola.
  • Banho de sol: Checar se a escola tem espaço para banho de sol e que o horário ele acontece. Lembrando que de manhã até as 10h00 ou de tarde após as 16h00.
  •  Berço: O ideal é que cada criança tenha seu berço para a soneca com a sua própria roupa de cama. Se isso não for possível, o lençol deve ser trocado para que cada criança tenha o seu. Em caso de crianças, maiores verificar a disponibilização pela escola de colchonetes individuais e como é feita a higiene deles.
  • Calor excessivo: Checar como a escola lida com o calor excessivo, se há ar condicionado, ventiladores, pois no calor que está fazendo ultimamente muitas crianças estão indispostas inclusive atrapalhando a alimentação.
  • Choro do bebê: Pais devem observar e questionar se os cuidadores acolhem o bebê no colo ou se deixam ele chorando sozinho no berço ou na cadeirinha de balanço.
  • Controle de entrada e identificação de pessoas: Importante observar como funciona a portaria da escola se há o controle de retirada das crianças e como é feita a identificação dos responsáveis.  Questionar a direção se os pais podem entrar a hora que quiserem na unidade e se há flexibilização de horário, ou seja, se pode buscar o filho mais cedo ou mais tarde.
  • Crianças doentes ou machucadas.Questionar se a escola medica ou liga para os pais antes para saber quais medicamentos ela pode tomar ou se eles preferem buscá-la. Perguntar também os procedimentos adotados em caso de emergência, como engasgamento, queda grave, convulsão. Observar se a escola exige a caderneta de vacinação já que há pais que optam em não vacinar seus filhos, checar se a escola impede a entrada de crianças com doenças contagiosas.
  • Férias e feriados.Checar se a escola emenda todos os feriados? Como funciona a escola nas férias de julho e janeiro? Se há programação de férias, o valor dessa programação.
  • Formação dos cuidadores:Vale questionar se as cuidadoras têm pedagogia, se têm cursos de primeiro-socorro se há atualização contínua dos cuidadores, nas creches e escolas públicas é obrigatória a atualização contínua dos cuidadores e professores.
  • Horário de funcionamento: Checar qual é o horário de entrada e saída da escola e se esta está de acordo com sua realidade. A maioria das creches públicas tem seu horário de funcionamento das 7h às 17h, não se enquadrando a realidade das mães hoje em dia, e algumas escolas particulares ficam com seu filho após o horário estabelecido, mas cobram um valor para isso.
  • Horário da soneca:Checar se horário da soneca é igual para todos ou permitem que o bebê durma o quanto quiser. Principalmente para os pequenos, pois é importante manter a rotina do sono que têm em casa.
  • Localização da escola: Antes de bater o martelo, os pais devem escolher também a escola em um lugar de fácil acesso, ou seja, ou próximo da casa ou do trabalho deles. Dessa maneira fica mais fácil organizar a rotina da casa fora que é mais fácil chegar até a criança em caso de algum contratempo.
  • Número de cuidadores por bebê: De acordo com o Conselho Nacional de Educação, o ideal é que cada um cuide, de no máximo, de seis a oito crianças de até 2 anos, de 15 crianças até 3 anos e de 20 crianças de 4 até 6 anos. Porém, na prática não há regra de quantos cuidadores podem cuidar de um bebê, mas vale o bom senso dos pais ao observar o berçário e como as cuidadoras lidam com o número de crianças.
  • Piscinas, escadas, parquinho com balanças: Caso haja essas opções na escola checar como funcionam as regras de utilização e quais os s procedimentos de segurança para que as crianças não tenham livre acesso a locais perigosos. Observar se o parquinho está em bom estado de conservação.
  • Sistema de troca de fraldas e banho: Importante observar se as funcionárias usam materiais descartáveis, se usam luvas na troca de fraldas e se a troca de fraldas é feita com algodão ou lenços umedecidos. Observar se a escola pede para cada bebê levar a própria banheira ou se optam em forrar a da escola com material descartável. Questionar também se o banho é dado a cada vez que o bebê faz cocô ou só no final do dia.
  • Uso da TV para distrair as crianças. A medida não deve ser usada, principalmente, para crianças menores de dois anos. Ideal é buscar escolas que tenham propostas de brincadeiras e atividades lúdicas para bebês e crianças ao invés da utilização da TV.
  • Uniforme: Questionar a partir de que idade é obrigatório, onde adquirir, valores.
  • Tanque de areia: Checar como é feita a limpeza desse tanque e se há animais perto da escola que possam usar esse tanque para defecar.
  • Transporte escolar: Caso você precise, checar se o veículo possui dispositivos de retenção adequados ao seu filho e se o transporte é feito de forma segura.
  • Valores e taxas extras.Os pais devem questionar os valores não só das mensalidades, mas de taxas extras, como de materiais, cursos de férias, taxa de alimentação, entre outros que podem vir a ser cobrados depois.

Conclusão: Não existe escola perfeita. Dificilmente você encontrará a escola perfeita para seu filho, mas busque a que alinhe com o que você pensa e que seu filho sinta-se bem. Boa sorte!

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s